25 de março de 2019 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Rubens Salomão
16-02-2019 | 06h00
Assembleia Legislativa terá CPI sobre serviço prestado pela Enel
O autor do requerimento, deputado estadual Henrique Arantes (PTB), já conseguiu reunir 14 assinaturas

A Assembleia Legislativa deverá instalar já no retorno das sessões ordinárias, na próxima semana, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a prestação de serviço da Enel Distribuição Goiás. O autor do requerimento, deputado estadual Henrique Arantes (PTB), já conseguiu reunir 14 assinaturas, número mínimo para que a instauração seja obrigatória pela mesa diretora. A intenção é apresentar o pedido de investigação na próxima terça-feira (19) para início dos trabalhos que terão até cinco membros, que poderão serem indicados pelo presidente da Casa, conforme indicação dos líderes de bancadas seguindo a proporcionalidade à medida do possível. A proposta inicial é analisar os termos de privatização da antiga Celg-D, em relação ao compromisso que a Enel teria de realizar para efetivação do contrato firmado com o Estado de Goiás e implementar investimentos no sistema de distribuição de energia. Avaliação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aponta que os goianos continuam com o pior serviço do Brasil depois de dois anos de gestão.

Protesto

Produtores rurais se organização para manifestação em frente à sede da Enel, em Goiânia, para cobrar qualidade mínima no fornecimento pelo interior. São organizados pelo deputado federal José Mario Schreiner (DEM) e deputados estaduais.

Regulação

Além das reuniões com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a direção da Enel terá na próxima terça-feira (19) encontro com a Agência Goiana de Regulação (AGR), que também fiscaliza o serviço.

 

 

 

NOTA COM FOTO DE IRIS REZENDE

Iris recomenda privatizar

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), sugeriu ao governador Ronaldo Caiado (DEM) que privatize a gestão do eixo exclusivo de ônibus da Avenida Anhanguera, realizado hoje pela estatal Metrobus. Segundo o emedebista, a medida será efetiva para dar maior agilidade na prestação do serviço e, principalmente, a manutenção dos ônibus e da própria via. Os dois gestores deverão ter encontro nos próximos dias para tratar deste, entre outros assuntos. “É minha opinião. Quebra uma ponta de eixo e o ônibus estraga. Até o ônibus ser consertado fica aí essa anarquia. Precisamos ser práticos para que o povo seja atendido com decência e dignidade”, afirmou o prefeito. Iris confirma que o tema será levado ao encontro com Caiado e avalia que o poder público não tem feito sua parte em relação ao transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia. “Privatizar o Eixão para que o poder público tome o cumprimento do dever que é servir com dignidade. O povo não está sendo bem servido. Vamos tomar uma solução pro transporte coletivo”.

CURTAS

Indefinição – Iris Rezende ainda reclamou do empurra-empurra de responsabilidades na Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC).

Quem? – O questionamento tem endereço certo: o prefeito de Trindade, Jânio Darrot (PSDB), que deveria ter assumido a Câmara ainda em 2018 e nunca realizou reunião.

Serviços – A região do setor Veiga Jardim, em Aparecida de Goiânia, receberá serviços de manutenção a partir desta segunda-feira (18), pelo “Prefeitura em Ação”.

Estados e União

O Tesouro Nacional pagou, em janeiro, R$ 565 milhões em dívidas atrasadas de estados. A maior parte, R$ 459,3 milhões, é relativa a atrasos de pagamento de Minas Gerais. Também foram pagos R$ 105,75 milhões do estado do Rio de Janeiro.

Como aqui

As garantias são executadas pelo governo federal quando um estado ou município fique inadimplente em alguma operação de crédito. O Tesouro cobre o calote, mas retém repasses para o devedor até quitar a diferença, cobrando multa e juros.

Nova regra

A ex-secretária da Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão, propõe uma “reforma de RH do Estado” como alternativa de controle das contas públicas. A economista aponta que, com a regra atual, “nem em dez anos os Estados vão ajustar as contas”. 

Sugestão

A proposta de mudança inclui plano de ajuste para os governos estaduais e correções estruturais nas carreiras dos servidores. A sugestão foi elaborada por Ana Carla, com o economista Armínio Fraga e o advogado Carlos Ari Sundfeld.

Ao trabalho

O governador Ronaldo Caiado (DEM) voltou a atender aliados políticos. Publicou nesta semana a nomeação dos ex-deputados estaduais José Essado, na presidência da Agrodefesa, e Lívio Luciano, para a chefia de gabinete.

Agro

Com a política de incentivos fiscais retornando ao debate no setor produtivo, Caiado garantiu que o fim do crédito outorgado de álcool anidro “não está na pauta”. 

(62) 3095-8700