27 de maio de 2019 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Rubens Salomão
15-02-2019 | 06h00
Líder desafia: “Não existe laranjal e que venha a investigação”
Delegado Waldir Soares avalia que o tratamento da questão pelas redes sociais do presidente é um bom sinal

Depois de o próprio presidente Jair Bolsonaro considerar a demissão do secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, caso seja confirmada participação dele em esquema com candidaturas laranja em Pernambuco, o líder da bancada do PSL na Câmara dos Deputados, o goiano delegado Waldir Soares, saiu em defesa do ex-presidente do partido. “Particularmente e em nome da liderança do PSL, sou contrário à saída do ministro Bebianno. Não passa de ilação essa história de candidatura laranja porque não se pode prever qual candidato ou candidata vai ter uma boa votação e os investimentos têm de ser feitos da mesma forma. Não existe laranjal e que venha a investigação”, desafia o deputado. “Nenhum presidente de partido tem bola de cristal para adivinhar a quantidade de votos que cada um vai ter”. O líder de bancada ainda avalia que o tratamento da questão pelas redes sociais do presidente é um bom sinal: “Os filhos do presidente não vão se calar e nós não discutimos assuntos nos porões, de madrugada. Temos uma nova forma de fazer política”.

Reações

Internamente, Gustavo Bebianno tem demonstrado forte mágoa com todo o episódio de fritura a que está sendo submetido pelo presidente Jair Bolsonaro e seu filho, o vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.

Guerra

“Não se dá um tiro na nuca do seu próprio soldado. É preciso ter um mínimo de consideração com quem esteve ao lado dele o tempo todo”, desabafou Bebiano em uma conversa com interlocutores.

NOTA COM FOTO DE ROMÁRIO policarpo

MP questiona projeto

O Ministério Público de Contas, em atuação do procurador do Tribunal de Contas dos Municípios, Fabrício Motta, expediu recomendação pela suspensão da tramitação do projeto de Lei da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia que cria novos 130 cargos e outras funções gratificadas para atender gabinetes e comissões da Casa. No ofício encaminhado ao presidente, vereador Romário Policarpo (PROS), o procurador do TCM aponta que o aumento de gastos do Legislativo, mesmo que não resulte em elevação da verba destinada pelo duodécimo constitucional, não deve ser confirmado “seja por violar a moralidade, razoabilidade ou outro valor albergado no regime jurídico administrativo-constitucional, além de ofender a Constituição”. O documento ainda destaca o fato de que a Casa possui apenas 146 servidores efetivos enquanto registra 464 servidores comissionados, de acordo com a folha de novembro de 2018. “Os números demonstram a espantosa proporção de 76% de servidores comissionados, com vínculo precário, e 24% de servidores efetivos, com vínculo permanente”.

CURTAS

– À margem de qualquer questionamento sobre ações à frente do cargo, são completamente condenáveis os ataques racistas sofridos ontem por Policarpo.

Transparência – Sobre o projeto que cria cargos, o presidente afirma que há transparência, mesmo com inclusão de última hora para votações em plenário.

Para depois – O leilão de dois veículos de luxo da governadoria para doação ao Hospital Materno Infantil (HMI), que ocorreria hoje, foi adiado para 14 de março.

Agência reguladora

Exatamente no dia em que foram completados dois anos da venda da Celg-D para a multinacional italiana Enel, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirma que a distribuidora mantém Goiás como o pior serviço em ranking nacional.

Punição

O órgão do governo federal de regulação e fiscalização do setor elétrico, já apresentou R$126 milhões em multas à Enel Goiás como compensação pela baixa qualidade da distribuição de energia em 2017 e 2018.

Cobrança

O diretor da agência, Rodrigo Limp, informou em Goiânia que será realizada hoje, em Brasília, reunião entre o presidente da Enel Brasil, Carlo Zorzoli, com a direção da Aneel, para discutir o caso do atendimento aos goianos.

O retorno

Depois de tentar defesa jurídica, a última nota do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) buscou rebater politicamente declarações do governador Ronaldo Caiado (DEM), que replicou notícia sobre recuperação de R$ 3,4 bilhões junto ao tucano.

Recado

“Pare com demagogia barata e irresponsável. Comece a trabalhar, Caiado. Sua incompetência está frustrando os seus eleitores”, afirmou Perillo no texto. 

Limite prático

O discurso político de Marconi tem um limite prático: as tantas ações a que responde na Justiça pelos mal feitos à frente do estado. Caiado usou as redes sociais para, de novo, pedir o retorno de verbas desviadas para recuperar o caixa do estado. 

(62) 3095-8700