21 de novembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
Política
10/08/2018 | 17h25
Números de candidatas aumentam nas eleições 2018
Se Manuela D’Ávila (PC do B) concorrer ao cargo de vice-presidente, serão cinco mulheres na disputa

É a primeira eleição em que mulheres possuem uma cota de recurso para campanha do fundo eleitoral. (Foto: Reprodução)

Da Redação

Ana Amélia (PP), Kátia Abreu (PDT), Sônia Guajajara (PSOL) e Suelene Balduino (Patriota) devem disputar o cargo de vice-presidente nas eleições deste ano. Caso Manuela D’Ávila (PC do B) concorra como vice de Lula ou de Fernando Haddad (PT), o número sobe para cinco. Marina Silva (Rede) e Vera Lúcia (PSTU) concorrem ao cargo de presidente. Essa é a primeira eleição em que mulheres possuem uma cota de recurso para campanha do fundo eleitoral. 

Para o cargo de vice-governadora, são, ao todo, 67 candidatas. Neste ano, totaliza 37,6% de candidatas a vice-governadora, na última eleição estadual o número era de 27,7%. Em 2014, foram três mulheres disputando ao cargo de vice-presidente. 

No mês de maio, deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), definiu que R$ 510 milhões do R$ 1,7 bilhão do fundo público de financiamento de campanhas deve ser destinado às mulheres. Para liberação do fundo é necessário 30% candidaturas femininas, no mínimo.

Entretanto, os critérios de distribuição do fundo vêm gerando divergência entre os especialistas. Alguns defendem que a cota feminina possa ser utilizada em candidaturas em que o homem ocupe o posto majoritário desde que a mulher esteja como vice. Em outro aspecto, uma parte defende que o dinheiro só seja utilizado em chapas com mulheres na cabeça da chapa. Até o momento, os partidos devem definir cada estratégia. 

 

Tópicos:  Política,   Mulheres,   TSE

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)