23 de setembro de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
Vila Nova
09/11/2017 | 13h00
Apesar do tropeço, Tigre ainda sonha
Mesmo empatando em 1 a 1 com Santa Cruz, no Serra Dourada, equipe diminui distância para o G-4

Aline Carlêto*

O torcedor saiu do Serra Dourada sem esperanças de ver o time na Série A do campeonato nacional no próximo ano. Os jogadores saíram de campo vaiados. No entanto, não demorou para que o coração do vilanovense voltasse a se encher de expectativa. Isso porque mesmo com o empate em 1 a 1 diante do Santa Cruz no jogo de terça-feira (07), o Vila Nova diminuiu em um ponto a distância para o G-4.

Os jogos dos principais times na disputa pelo grupo de acesso, que começaram às 20h30, foram favoráveis à equipe goiana. Na Arena Barueri o Oeste, 5º colocado com 56 pontos, empatou em 1 a 1 com o Figueirense. Já no Bento Freitas, o Brasil de Pelotas venceu o Paraná, 4º colocado com 56 pontos, por 2 a 0.

Ainda assim, os resultados positivos na 34ª rodada e a possibilidade real de compor o grupo que fará parte da elite do futebol brasileiro no próximo ano não foram suficientes para que os erros colorados fossem apagados. Hemerson Maria foi bastante criticado pela surpresa na substituição, ele tirou o atacante Alan Mineiro pelo meio-campista Marcelinho.

“Foi uma questão técnica. O Alan estava errando bastante, além de não conseguir fazer a diferença que ele fez em alguns jogos. Não estou o responsabilizando, pois toda a equipe fez uma partida ruim. Embora o Marcelinho não tenha participado de outros jogos, ele vinha treinando bem, e a oportunidade não avisa quando aparece”, falou o técnico ao final da partida.

Apesar de o time ter conseguido apenas uma vitória nos últimos oito jogos, o comandante se mostrou confiante. “Esse presente de Acesso à série A pode estar guardado para um pouco mais à frente. Nós ainda temos possibilidades matemáticas de acesso. Tenho um grupo guerreiro, uma diretoria e uma comissão técnica que estão trabalhando muito, além de torcedores, que ainda acreditam no nosso trabalho”, destacou.

A próxima partida do Vila Nova é contra o Internacional, líder da competição. Para esse jogo, o técnico alegou já ter conversado com os jogadores para que o grupo vá à Porto Alegre buscar a vitória. Além disso, constatou qual pode estar sendo o problema da equipe em não conseguir chegar a resultados positivos. “Eu sei o perfil psicológico do meu grupo. Temos conversado e estamos fazendo trabalho mental. Às vezes não é a questão técnica que está atrapalhando, mas a questão mental, por causa da pressão. Quando você está se aproximando do objetivo precisa ter um pouco mais de força mental. Cabe a mim fazer as correções e identificar os jogadores que estão com nível de confiança mais elevado”, disse.

O Vila entra em campo no próximo sábado (11), às 16h30, no Beira-Rio. A partida será válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.


Foto: Sebastião Nogueira/ O Popular  

*(Aline Carlêto é integrante do programa de estágio do jornal O Hoje)

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)