23 de maio de 2019 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Caso Rayane
31-10-2018 | 09h12
Segurança é preso suspeito de matar adolescente em São Paulo
Para a polícia, houve estupro, mas o suspeito alega que a relação sexual foi consensual e que depois a adolescente "surtou"

Após carona, segurança é preso suspeito de matar adolescente (Foto: Divulgação)

Da Redação

A polícia prendeu em Guararema em São Paulo, na noite desta terça-feira (30), Michel Flor da Silva, de 28 anos, pelo assassinato de Rayane Paulino Alves, de 16 anos.

Segundo a polícia, o segurança confessou que matou a jovem depois de ter oferecido uma carona para ela.

Para a polícia, houve estupro, mas o suspeito alega que a relação sexual foi consensual e que depois a adolescente "surtou".

A vítima ficou desaparecida por oito dias, depois de sair de uma rave em um sítio no limite entre Mogi das Cruzes e Guararema. O corpo dela foi encontrado no último domingo (28).

A jovem teria saído da festa e pegado carona com um motorista de aplicativo até a Rodoviária de Guararema.

Segundo a polícia, o motorista da primeira carona prestou depoimento e realmente deixou a adolescente no local, onde ela pegaria um ônibus para Mogi.

De acordo com o delegado Rubens José Ângelo, Michel estava trabalhando na rodoviária como segurança e disse à polícia que, ao ver Rayane sozinha, se ofereceu para levá-la até a casa dela.

"Michel confessa cabalmente a prática do crime. Ele diz que encontra Rayane no terminal rodoviário de Guararema e ela estava meio cambaleando. Em dado momento ela sentou em um banco naquela rodoviária", disse o delegado. "Ele ofereceu uma carona, perguntou se ela estava bem. Ofereceu uma água e ela não aceitou. Ofereceu a jaqueta para ela se esquentar. Ela também não aceitou. Daí nesse momento ele oferece uma carona", continua o delegado.

Segundo o delegado, no depoimento, Michel - que é capoeirista - afirmou que Rayane havia dito que queria curtir a noite e que ele propôs que fossem até uma balada, em Jacareí, e por isso mudaram o rumo. "Eu não acredito nessa versão. Eu acredito que ele já tenha levado ela para estuprá-la", afirma Ângelo.

"Em dado momento, no km 170 da Dutra, ele para às margens da rodovia e ali, segundo ele, ele mantém a conjunção carnal com ela", continua o delegado. 

(62) 3095-8700