25 de setembro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Fiscalização
12/09/2018 | 14h45
Revistas evitam entrada de drogas nas penitenciárias de Aparecida
Entorpecentes estavam em colchões, par de sandálias e na parte intima de acompanhante

Da Redação

Na última semana, agentes prisionais da Casa de Prisão Provisória (CPP) e da Penitenciária Odenir Guimarães (POG), do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, evitaram que inúmeras porções de drogas e celulares fossem repassados para detentos. 

Na última quinta-feira (6), dia permitido para entrega de colaborações (Cobal) para os detentos, duas pessoas foram flagradas após entregarem colchões com drogas escondidas para detentos da CPP de Aparecida de Goiânia. Dentro dos dois colchões havia porções de maconha e cocaína. Os familiares e os objetos foram encaminhados para a delegacia.

No sábado (9), os agentes da POG impediram a entrada de drogas durante o horário de visitas. Lilian Alves da Silva escondia nas partes íntimas uma porção de maconha envolvida em fita isolante. Ela foi descoberta após passar pelo aparelho de scanner corporal e levada até uma unidade de saúde. No local, a médica plantonista fez a retirada da droga e a visitante confessou que entregaria para seu esposo Jhullyano Lopes. Os dois foram levados para a delegacia. 

Ainda na POG, Yasmmin da Silva Santos foi presa ao tentar levar mais de 200 gramas de maconha para o detento Roberto Julio Almeida do Nascimento Junior. A droga estava armazenada dentro do par de sandálias. 

Durante visita no domingo (9) na CPP, Rosimeire Santos de Oliveira foi presa com dois aparelhos celulares escondidos. Os objetos foram vistos assim que a visitante passou no aparelho de scanner corporal. Ela e o detento Vitor Hugo Santos foram levados para a delegacia. 

Tópicos:  CPP,   drogas,   revistas

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)