14 de agosto de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Solidariedade
18/11/2016 | 06h00
Projeto ‘Casa fora de casa’ se mantém ativo
Entre as atividades promovidas durante o projeto foram realizadas oficinas, construção de instrumentos musicais, trabalho colaborativo e mapeamento de rotas e execução de sinalização

Wilton Morais

Após o fim do projeto “Casa fora de casa’, em setembro deste ano, os moradores do setor Sul, em Goiânia, ainda desfrutam dos benefícios que interviram na área urbana da cidade. Na praça da Rua 132-C, o recepcionista de um escritório de advocacia Lindomar Alexandre, conta que o pessoal do trabalho costuma desfrutar da geladeira com livros, no final do expediente. “Já peguei alguns livros aqui, apesar de ser um pouco escuro durante a noite, o pessoal gosta de ficar sentado no banco, depois das 18 horas”, disse.

O projeto teve inicio no final de julho, na Praça Wilson Valente Chaves, na Avenida Cora Coralina. Entre as atividades promovidas durante o projeto foram realizadas oficinas, construção de instrumentos musicais, trabalho colaborativo e mapeamento de rotas e execução de sinalização. Mesmo após quase dois meses do fim do trabalho, as construções com objetos de casa ainda foram mantidos. 

O aposentado Teixeira da Cunha disse que diariamente a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) realiza a limpeza da praça e mesmo assim, não retira os objetos. “Diariamente tem pessoas frequentando o banco”. Na praça, as placas sinalizam para que a limpeza seja mantida, uma mesa fica destinada aos leitores, que podem escolher na geladeira de livros uma opção de leitura. 

Perpetuação 

“As oficinas acabaram, mas deixamos os objetos na praça, o que permite a continuidade da ação”, contou a idealizadora do projeto, Carol Farias. Na praça da AV. Cora Coralina foi deixada uma agrofloresta, já na Praça Martim Cererê, o grupo deixou uma arquibancada.
Na intenção de manter novas fases do casa fora de casa, diariamente o grupo tem se reunido com a prefeitura para apresentar um levantamento de melhorias, apontadas pela população. “Ainda neste ano, a prefeitura deve passar nessas praças para arrumarem bancos, bueiros, lixeiras, playground, equipamentos de ginástica e o bicicletário”, considera Farias.

Premiação 

Na semana passada, o projeto foi premiado no I Encontro de Urbanismo Colaborativo, sendo eleito nacionalmente a melhor Ação Urbana Colaborativa, em Curitiba. Idealizado pelo estúdio Sobreurbana, o projeto teve como patrocínio, o Fundo de Cultura do Estado de Goiás, juntamente com a parceria da Prefeitura de Goiânia.

“Pretendemos participar de novos editais para levar o projeto a outras praças e bairros”, disse a idealizadora. “Tivemos o cuidado em informar à prefeitura o que iríamos fazer, e executamos junto com a comunidade. Encerrada as oficinas estamos conversando e negociando com o município para dar continuidade no projeto”.  

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)