21 de novembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Coluna
Xadrez
Rubens Salomão
Rubens Salomão
28/04/2018 | 06h00
Governo garante eleições diretas para diretores de escolas

O governador José Eliton (PSDB) determinou à base aliada na Assembleia Legislativa e garantiu a professores e servidores da Educação que sejam realizadas eleições diretas para definição de diretores de escolas, sem novas indicações políticas. 

O problema ainda é definir quando os novos ocupantes serão escolhidos, já que deputados governistas defendem nos bastidores que os processos sejam realizados apenas em novembro, depois das eleições a deputado estadual e governador. “Alguns deputados fazem forte articulação porque eles têm bases junto às escolas e preferem não misturar as coisas.

O trabalho seria dobrado e as concorrências, segundo eles, poderiam atrapalhar as campanhas dos parlamentares”, conta o líder da base, Francisco Oliveira (PSDB). Por outro lado, professores comandados pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (SINTEGO), fizeram pressão constante na Assembleia para garantir logo a realização das eleições diretas para diretores.

Prazos prorrogados

O mandato dos atuais diretores teve fim no dia 28 de fevereiro e as eleições deveriam ter sido realizadas em novembro de 2017, desde quando o processo é adiado pela Seduce. Daí a definição de José Eliton.

Alterações

Os deputados têm segurado projeto do governo que garante a realização das eleições para diretores e define as regras para as gestões. Destaque para a possibilidade de duas reeleições para até três mandatos seguidos; cada um com duração de três anos.

Vilmar define prazo

O presidente estadual do PSD, ex-deputado federal Vilmar Rocha, voltou a questionar a consolidação da pré-candidatura do governador José Eliton (PSDB) e chaga a dizer que a base aliada ainda não escolheu o tucano para a disputa. 

As declarações do ex-titular da Secima têm se consolidado como voz isolada na base do governo, cujas lideranças têm manifestado com maior frequência e ênfase o apoio a Eliton.

“Vai chegar o dia 30 de junho, a base vai fazer uma avaliação. Todos têm que ter um projeto com expectativa de vitória. Se no dia 30 de junho a base chegar a uma avaliação de que o candidato da base é político-eleitoralmente inviável, a base vai querer tomar outra posição”, afirmou à Rádio Bons Ventos. 

“Não está definido que não apoio, até porque não depende só de mim, depende do partido. Em julho vamos ouvir todo mundo e vamos definir. Se a decisão fosse minha, eu gostaria de ter o perfil de outra candidatura, com outro perfil”, conta Vilmar, que faz questão de reafirmar que mantém conversas com MDB e DEM.

CURTAS

Solidão – Em visita rápida a Goiânia, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) confirmou pequena estrutura para a campanha. “Sou candidato de um partido só”.

Dois lados – A senador Lúcia Vânia (PSB) teve agenda administrativa com o prefeito de Turvânia, Fausto Mariano, que apoia Caiado e tem processo de expulsão do MDB.

Placas caídas – A Prefeitura de Goiânia inicia neste domingo (29) as obras de recuperação dos viadutos da Avenida 85 com a T-63 e na Praça do Ratinho.

Contas aprovadas

As contas do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) referentes à gestão em 2017 foram aprovadas Tribunal de Contas do Estado (TCE). No entanto, tiveram registro de cinco ressalvas, 23 determinações e 18 recomendações.

Com advertências

As ressalvas citam manutenção de déficit orçamentário e financeiro, descumprimento do repasse de duodécimo para Assembleia Legislativa e o próprio TCE, além de irregularidades na liberação de créditos adicionais e na gestão por conta única.

Memória

O relator das contas do governo em 2017 foi o conselheiro Sebastião Tejota, que tomou posse em 2003, por indicação da Assembleia Legislativa, com aprovação do então governador Marconi. Foi deputado pelo PSDB por três mandatos.

Martírio contínuo

A Polícia Federal pediu mais 60 dias para investigar o presidente Michel Temer no âmbito do inquérito dos portos. O pedido depende de parecer da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e do ministro relator no STF, Luís Roberto Barroso.

Em fúria

Relatos em Brasília apontam que Temer ficou furioso com o pedido de prorrogação do inquérito sobre caso Rodrimar. A PF busca mais informações sobre os sigilos que foram quebrados e mensagens com o ex-assessor Rodrigo Rocha Loures.

Marca de trabalho

Pode parecer pequeno, mas é simbólico: José Eliton atualizou a bio no Twitter: “Vamos inaugurar o #NovoTempoNovo no estado, com esperança, sonhos e coragem. Amor, trabalho e dedicação são atitudes que nos guiam”.

 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)
Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/maislidas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 167 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/blogs.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 202 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/colunas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 208